Famel Z - um blog que não é sobre motos

Vrum, vrum...vruuuuuuuuuuuuum!!!

quinta-feira, julho 20, 2006

É tão giro andar à cabeçada

segunda-feira, maio 08, 2006

Sou isto


Cai neve em Nova Iorque

Há sol no meu país

Faz-me falta Lisboa

Para me sentir feliz

Não há mais pôr-do-sol

Em Sunset Boulevard

Cai neve em Nova Iorque

Ninguém vai-me encontrar.

terça-feira, abril 25, 2006

Andam aí qué flô e depois...



O sinhori J. Falwell legou à humanidade esta obra em que revela o acto também conhecido como esganar o ganso, descascar o pessegueiro, é na verdade uma ferramenta do diabo, do mafarrico para destruir o paraíso terrestre.

Ora esta teoria é patética, e a verdade é que a masturbação gera teorias... estúpidas. Na nossa adolescência ouvimos teorias com o grau de idiotice de teorias como: ai e tal ficas cego, crescem-te pêlos nas palmas das mãos e o catano, ficas com mais borbulhas e a mais idiótica: por cada vez que um gajo espancas o macaco, morre um gatinho bébé.

Está bem que já não se está na idade de ter muita pena de gatinhos bébés mas mesmo assim era preciso ter um coração emperdenido. Agora ficamos a saber que o desporto para o qual treinámos na nossa adoslescência como se da preparação para os jogos olímpicos se tratassem é uma ferramenta do Diabo.

O Famel Z reage dizendo: Tá bem.

quinta-feira, março 23, 2006

Nova Piada Estúpida e Perfeitamente Escusada Actualizada



Raptora era Loura, Novo Retrato Robot

Luís C. RibeiroAlbino e Isaura Pinto dizem não se conformar com o desaparecimento da filha

Alta e magra, tem entre os 30 e 35 anos, usa madeixas louras no cabelo – e, a 17 de Fevereiro, entrou no Hospital Padre Américo/Vale do Sousa, em Penafiel, “com um saco ao ombro, de tamanho suficiente para esconder uma bebé”.

O Matrimónio Cristão por Tihamer Toth



Falo-vos hoje de um livro que muito aprecio- O Matrimónio Cristão pelo Monsenhor Tihamer Toth professor da Universidade de Budapeste e mais tarde Bispo. Diz-nos o prefácio que "Em Portugal é muito necessário difundir a sã doutrina acerca do matrimónio". É útil manual sobre o casamento, que, embora tenha sido escrito nos idos de 1950, mantem uma admirável actualidade. Conselhos como:
"É escusado dar-lhe voltas; actualmente o jovem, em idade de casar, a maior parte das vezes não tem receita suficiente para os gastos de uma casa, se a esposa quer ir continuamente a saraus e bailes, e necessita de uma pessoa para lhe cuidar das mãos e das unhas e outra para lhe ondular os cabelos (...) mas ignora a mais elementar das obrigações da casa, da cozinha e do cuidado dos filhos."
"É certo que os rapazes se divertem gostosamente com as raparigas frívolas...; mas não casam com elas. E têm razão; porque casae com uma rapariga que vê a vida unicamente através de incessantes diversões... é realmente catastrófico."
Isto é realmente lindo e útil... disponivel na Biblioteca Masmorra!

terça-feira, fevereiro 28, 2006

Serviço Público de Blog

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Piada Estúpida e perfeitamente desnecessária

Sim, é verdade que foi preciso uma razão muito forte para voltar a postar no famelz. Essa razão chama-se Eurico A Cebolo. De dia, professor de música, criador dos míticos Piano Mágico, Guitarra Mágica e Flauta Mágica, mas de noite transforma-se no romancista capaz de momentos de prosa inigualáveis como o que a seguir se transcreve com a devida vénia:
Revoltada, ela pregou-lhe um safanão e aproveitando o seu desequilíbrio correu para fora do jardim. Olhou para trás, e vendo que ele não desistia de a perseguir, na ânsia de lhe escapar, imprudentemente, tentou atravessar a rua. Em tão má hora que foi colhida por um automóvel que circulava a grande velocidade. Ouviu-se uma travagem brusca acompanhada de estridente chiadeira de pneus. Tudo em vão e num ápice, já que o condutor não conseguiu evitar o acidente. O choque deu-se com muita violência. O corpo da desditosa criatura, projectado alguns metros pelo ar, estatelou-se no outro lado da larga via...
Então? Se isto não é arte eu vou ali e já venho!
Lindo, desditosa criatura que se estatelou...

Eurico Cebolo

Qualquer pessoa ou militante do PP que como eu na minha infância e pre-adolescência (que é a mesma coisa mas assim mostro que sei usar sinónimos ainda que de forma estúpida ou imbecil) tenha estudado o instrumento musical mais importante dos 80's o orgão musical, deparou-se certamente com a obra dessa figura da cultura portuguesa Eurico A. Cebolo.

Para além de toda uma panóplia de edições de manuais musicais como Orgão Mágico, Guitarra Mágica, Flauta Mágica, Cebolo é o autor de alguns dos mais injustiçados romances alguma vez publicados em língua portuguesa: A Prostituta Virgem, A Santa Assassina, Incesto sem Pecado, Matavam as Freiras Grávidas, O Falo Perdido e O Violador das Mortas. Mas é em Casei com a Minha Irmã que toda a genialidade de Cebolo encontra a sintese perfeita.
Diz o prefácio (que desconfio ter sido escrito pelo próprio) desta obra genial e com um tema tão pouco recorrente, quer nas grandes obras literárias quer em obras menores, inclusivamente para a televisão:
CASEI COM A MINHA IRMÃ" é um romance onde o espírito criador, a capacidade de imaginação e a grande versatilidade cativam o leitor que, entrando nesta teia tão bem urdida, estará sempre ansioso pela página seguinte. Num estilo muito próprio, sóbrio e sem quaisquer rebuscamentos, deliciamo-nos com a pureza de linguagem de um Eça, a fecundidade de ideias de um Camilo e o encanto e simplicidade de um Torga. Em CASEI COM A MINHA IRMÃ" é burilada uma estória que poderia ser verídica e ter acontecido em qualquer tempo e lugar.
E pensar que há quem se recorde de Cebolo apenas por ter um pastor alemão a tocar piano na capa de um dos manuais.
Tenho ainda suspeitas (sem qualquer fundamento) de que Cebolo poderá ter vários heterónimos que assinam alguns contos da revista Maria.
Se se portarem bem e comerem a sopa toda, em breve postarei excertos da sua obra para deleite de todos os leitores deste blog.
Mais informações no clube de fans.

quarta-feira, novembro 30, 2005

Este é bom

- Sabes, hoje estou a pensar em matar-me. – diz Teixeira,
despreocupadamente, para a sua colega Teresa, enquanto entram para o elevador do prédio, repleto de gente
– E já sabes como o vais fazer? – responde Teresa
– Estava a pensar em despir-me, meter-me na banheira e cortar os pulsos com
uma faca de mato.
– Porque é que não cortas a aorta, no pescoço? É capaz de ser mais
rápido.
– Pensei nisso, sabes? Mas não quero sujar a
casa-de-banho. Ouvi dizer que assim o sangue espirra para todo o lado.
– Pois, isso é verdade. Nos pulsos tens mais controlo.
– E não é só isso. Supõe que eu me arrependo a meio e quero parar. Se tiver
o cuidado de tapar o ralo da banheira, o meu sangue ainda está todo lá. Pego no
telemóvel, ligo para o 112, e quando me vierem buscar levam-me o sangue também.
Nem tenho de esperar por uma transfusão.
– Pois, lá nisso tens razão. Se o sangue espirra para todo lado, o melhor
que consegues é uma decoração nova na casa-de-banho.
– Exacto.
– Mas olha lá, já pensaste no desgosto que vais dar aos teus pais?
– Ah, não, mas eu vou matá-los primeiro! Não disse isso, pois não?
– Não, não disseste.
– Pois. Faz sentido, não é? Alguma vez os iria fazer passar por uma
situação destas? Eles iam sofrer muito! Assim mato-os primeiro, é mais rápido, e
não têm de passar pela dor de enterrar um filho.
– Acho que é simpático da tua parte. Já agora, porque é que te vais
matar?
– Não tenho nada melhor para fazer hoje à noite.
– Porque é que não vamos ao cinema?
– Ok, boa ideia!

in www.dizquedisse.com